facisc

Logo Acibr

icon_fone  47 3351-1588

icon_f  fb.com/acibr

Agenda

25
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
de 25/05 a 19/12
25
quinta
Evento
Multifair Feira ACIBr
18:00
de 25 a 28 de Maio
29
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
29 de Maio
29
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
17:30
29 de Maio
31
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Farmácias
08:00
31 de Maio
31
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
31 de Maio
01
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
01 de Junho
05
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
05 de Junho
06
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
06 de Junho
06
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
06 de Junho
07
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
07 de Junho
07
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
07 de Junho
08
quinta
Visita Empresarial
Visita Empresa TOTVS - Núcleo TI
10:30
08 de Junho
08
quinta
Palestra
Palestra "Navegando com sucesso" em prol APAE
19:30
08 de Junho
12
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
12 de Junho
13
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
13 de Junho
14
quarta
Reunião
Reunião Núcleo de Laboratórios de Análises Clínicas
14:00
14 de Junho
14
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
14 de Junho
16
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
16 de Junho
19
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
19 de Junho
20
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
20 de Junho
21
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
21 de Junho
21
quarta
Evento
Atendimento BRDE
08:30
21 de Junho
21
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
21 de Junho
22
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
22 de Junho
22
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
13:30
22 de Junho
22
quinta
Palestra
Palestra sobre Qualidade de Vida
14:30
22 de Junho
22
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
16:00
22 de Junho
22
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
22 de Junho
26
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
26 de Junho
27
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
27 de Junho
27
terça
Reunião
Reunião Núcleo Academias
14:00
de 27/06 a 19/12
28
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
28 de Junho
28
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
28 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
29 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
29 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
29 de Junho
03
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
03 de Julho
03
segunda
Evento
Sessão de Negócios ACIBr/SEBRAE
18:30
03 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
04 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
04 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
de 04/07 a 19/12
05
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
05 de Julho
06
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
06 de Julho
10
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
10 de Julho
12
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
12 de Julho
12
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
12 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
18 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
18 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
18 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
19 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
19 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
19 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
20 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
16:00
20 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
20 de Julho
21
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
21 de Julho
24
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
24 de Julho
25
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
25 de Julho
26
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
26 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
27 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
27 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
27 de Julho
31
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
31 de Julho
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
01 de Agosto
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
01 de Agosto
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
01 de Agosto
02
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
02 de Agosto
07
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
07 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo de Laboratórios de Análises Clínicas
14:00
09 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
09 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
09 de Agosto
10
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
10 de Agosto
14
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
14 de Agosto
15
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
15 de Agosto
15
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
15 de Agosto
16
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
16 de Agosto
16
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
16 de Agosto
17
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
16:00
17 de Agosto
18
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
18 de Agosto
18
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
18 de Agosto
21
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
21 de Agosto
22
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
22 de Agosto
24
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
24 de Agosto
28
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
28 de Agosto
29
terça
Reunião
Reunião Núcleo Academias
14:00
29 de Agosto
29
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
29 de Agosto
30
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
30 de Agosto
30
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
30 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
31 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
31 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
31 de Agosto
04
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
04 de Setembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleos Corretores de Seguros
17:00
05 de Setembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
05 de Setembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
06 de Setembro
11
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
11 de Setembro
12
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
12 de Setembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
13 de Setembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
13 de Setembro
15
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
15 de Setembro
18
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
18 de Setembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
19 de Setembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
19 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
20 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
20 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
20 de Setembro
21
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
21 de Setembro
21
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
21 de Setembro
25
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
25 de Setembro
26
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
26 de Setembro
26
terça
Reunião
Núcleo Jovem
18:00
26 de Setembro
27
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
27 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
28 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
28 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
28 de Setembro
02
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
02 de Outubro
03
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
03 de Outubro
03
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
03 de Outubro
04
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
04 de Outubro
05
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
05 de Outubro
09
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
09 de Outubro
10
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
10 de Outubro
11
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
11 de Outubro
11
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
11 de Outubro
16
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
16 de Outubro
16
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
17:30
16 de Outubro
17
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
17 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
18 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
18 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
18 de Outubro
19
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
19 de Outubro
19
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
19 de Outubro
20
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
20 de Outubro
23
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
23 de Outubro
23
segunda
Reunião
Reunião Diretoria Itinerante de Guabiruba
17:30
23 de Outubro
24
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
24 de Outubro
24
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
24 de Outubro
25
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
25 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
26 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
26 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
26 de Outubro
30
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
30 de Outubro
31
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
31 de Outubro
01
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
01 de Novembro
06
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
06 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
07 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
07 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
07 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo de Laboratórios de Análises Clínicas
14:00
08 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
08 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
08 de Novembro
09
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
09 de Novembro
13
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
13 de Novembro
13
segunda
Reunião
Reunião Diretoria Itinerante de Botuverá
17:30
13 de Novembro
15
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
15 de Novembro
16
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
16 de Novembro
17
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
17 de Novembro
20
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
20 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
21 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
21 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
21 de Novembro
23
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
23 de Novembro
27
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
27 de Novembro
28
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
28 de Novembro
29
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
29 de Novembro
29
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
29 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
30 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
30 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
30 de Novembro
04
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
04 de Dezembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
05 de Dezembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
05 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
06 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
06 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:00
06 de Dezembro
07
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
07 de Dezembro
11
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
11 de Dezembro
12
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
12 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
13 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
13 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
13 de Dezembro
14
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
14 de Dezembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
19 de Dezembro

Calendário

    Notícias

    Junho
    Café de Ideias do NIE reuniu cerca de 50 pessoas no SENAI
    23/06/2017

    O NIE - Núcleo de Instituições Educacionais da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), promoveu na tarde desta quinta-feira, 22, mais uma edição do Café de Ideias. O evento teve como local o auditório do Senai de Brusque, e contou com a palestra “Projeto Qualidade de Vida”, ministrada por Eloir Simm, presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV). 

    O Café de Ideias é voltado para integrantes do Núcleo e nesta edição cerca de 50 inscritos estiveram presentes.


    Leia +
    2º Festival Gastronômico de Brusque acontece de 5 de julho a 6 de agosto
    22/06/2017

    Temperô este ano terá a participação de 15 estabelecimentos, workshops, visitas técnicas  e aula-show com o professor e renomado chef Erik vow Bülow

     

    Entre os dias 5 de julho a 6 de agosto, o Núcleo de Gastronomia (Garni) da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) realiza o ‘Temperô – 2º Festival Gastronômico de Brusque’. Na oportunidade 15 estabelecimentos da cidade e região que integram o Núcleo estarão oferecendo pratos especiais durante o período: alguns deles exclusivos para o Festival, outros pratos já conhecidos, mas com uma releitura.

    Assim como a primeira edição do Festival, este ano o evento tem como objetivo divulgar a gastronomia da região, através de uma combinação de pratos de diversos restaurantes participantes, com um valor fixo, incentivando o público a conhecer os estabelecimentos locais.

    A maioria dos pratos participantes do Festival terá o valor de R$ 49,90. Outros pratos também estarão disponíveis no valor R$ 21,90. A relação dos estabelecimentos e os pratos oferecidos podem ser conferidas no Guia do Temperô, distribuído nas cidades de Brusque, Guabiruba e Botuverá.

    Além disso, este ano o público terá novamente o incentivo do Cartão Fidelidade, ou seja, ao adquirir algum prato do Temperô, o público ganha um cartão e, ao preenchê-lo com os ‘selos’, de quatro restaurantes diferentes, recebe um brinde exclusivo do Festival.

    A expectativa do Núcleo é grande para a realização evento, que foi sucesso em 2016. “Estamos muito ansiosos para esta segunda edição. Temos algo precioso este ano que é a experiência do de 2016, onde avaliamos os pontos positivos e negativos, para melhorarmos o Festival este ano. Estamos bastante confiantes e temos certeza que o Temperô será novamente sucesso nesta segunda edição”, comenta o coordenador do Núcleo de Gastronomia da ACIBr, Jonathan Casagrande.

    Outro diferencial do Temperô em 2017 serão quatro workshops e duas visitas técnicas (veja a relação abaixo) realizados no período, onde o público poderá se inscrever e participar. As vagas são limitas. Além disso, neste ano, todos os restaurantes participantes do Festival passaram por capacitações, nas áreas de gestão, higiene e controle de alimentos, elaboração do cardápio, entre outras, feitas em parceria com o Sebrae e Senac. 

     

    Lançamento

    O evento de lançamento do Festival acontece na quarta-feira, 28 de junho, às 19h30, no Brusque Palace Hotel, para imprensa e convidados.

    Já no dia 5 de Julho, às 19h30, na sede da Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB) acontece uma aula-show com degustação, feita pelo professor e renomado chef Erik vow Bülow, que na oportunidade irá apresentar novas técnicas gastronômicas aplicadas a produtos catarinenses e à cozinha brasileira. O evento é aberto ao público, entretanto com vagas limitadas. Os ingressos, que dão direito à degustação podem ser adquiridos no valor de R$ 80 na ACIBr e com os estabelecimentos participantes do Festival.

     

     Saiba mais

    Professor e chef Erik vow Bülow tem Pós-Graduação em Gestão Empresarial pela Universidade Paulista, CCI (Chefe de Cozinha Internacional) pelo Senac Santo Amaro, e Bacharel em Direito pela Universidade Paulista. Atua como professor na Faculdade de Tecnologia Senac Blumenau, em cozinha brasileira, cozinha italiana, cozinha internacional, serviço de sala e bar, estrutura física e funcional. Também é Avaliador e Treinador em Serviço de Restaurante por Santa Catarina para a Olimpíada do Conhecimento e seletivas e Worldskills. Desenvolve consultorias na revisão de processos e reestruturação de restaurantes Senac, atua na gestão de eventos, nas áreas administrativas e operacionais, e com o desenvolvimento e a apresentação de aulas teóricas e práticas (Mesa Tendências e Prazeres da Mesa). Já participou de eventos com os chefs Alex Atala, Edinho Engel, Rodrigo Oliveira, Wanderson Medeiros, Juares Campos, Rodrigo Castanho, David Chang, Eudis Assis, entre outros.

     

    Programação:

     -28/06: Lançamento do Temperô - para imprensa e convidados (às 19h30, no Brusque Palace Hotel)

    - 5/7: Aula Show com degustação com o professor e renomado chef Erik vow Bülo (às 19h30, na AABB)

    -11 e 19/07: Workshop – Alimentação Saudável! Menu funcional: entrada, prato principal e sobremesa (às 19h, na Maria Pimenta Cursos)

     - 13/7- Workshop – Virtudes e diferenciais dos espumantes Pericó elaborados na altitude brasileira em Santa Catarina (às 19h, na Sassipan)

    -14 e 28/07 – Visita técnica e degustação de cervejas Zehn Bier (às 18h30, na Cervejaria Zehn Bier)

    -24/07 - Workshop – Gastronomia Moderna (às 19h, no People Pub)

        **Interessados em participar dos Workshops oferecidos pelo Temperô devem entrar em contato com a ACIBr através do e-mail: consultor4@acibr.org.br , pelo  telefone (47) 3351-1588 ou com os estabelecimentos que promovem os Workshops

     

    Confira os estabelecimentos que participam do Temperô – 2º Festival Gastronômico de Brusque’:

    -Batata Bistrô

    - Brusque Palace Hotel

     -Casarão Garibaldi

    - Chef do Mar Restaurante

    - Monthez Hotel e Eventos

    - People Pub

    - Pietro’s Restaurante

    -Restaurante do Nido

    - Sassipan

    - Sottile Cozinha Internacional

    - Villa Zitri

    - Zehn Bier German Pub

    - Carolitas e Nutri Tice Café Saudável

    - Diverty Boliche e Festas

    - Maskavo Brasil

    Patrocinadores do evento: Schimitt Buffet e Eventos, Rafaela Doces, Colonial Café, Zehn Bier Cervejaria, Maria Pimenta Cursos e Eventos Gastronômicos Personalizados, Associação Empresarial de Brusque, Pericó Espumantes e Vinhos e Florisa Tinturaria.


    Leia +
    Meninos especiais: Campanha "Eu ajudo na Lata" faz a entrega da 6ª cadeira de rodas adaptada
    21/06/2017

     

    Na tarde desta quarta-feira, 21 de junho, na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, foi realizada a entrega da 6ª cadeira de rodas adaptada, através do projeto “Eu ajudo na Lata”, realizado pela Unimed Brusque, em parceria com a Associação Empresarial de Brusque (ACIBr). O evento possibilitou o encontro de duas crianças especiais: Pedro Cysne da Silva, de nove anos, cabelos longos e jeito descolado e Cauã Cesário dos Passos, 11 anos, dono de um sorriso largo e olhos brilhantes.

    Pedro mora em Florianópolis e, há alguns anos, ouviu seu tio falar em uma festa que, com cinco garrafas pets cheias de lacres de latinhas de alumínio, era possível comprar uma cadeira de rodas. O menino se interessou pelo desafio e, ali mesmo, começou este trabalho de formiguinha, recolhendo lacres para ajudar uma pessoa com deficiência. “Mas, no decorrer do processo nós descobrimos que não eram cinco garrafas. Na verdade, para comprar uma cadeira de rodas era preciso cem garrafas pets com lacres de latinhas de alumínio. O incentivo foi todo dele, a gente não acreditava que isso poderia dar certo”, conta a mãe de Pedro, Jussara.

    E, mesmo diante da falta de fé de quem estava ao lado, Pedro não se deu por vencido. Aumentou sua rede de atuação, envolveu familiares, amigos, a escola e toda a comunidade. Visitou restaurantes e pediu aos garçons para guardar o material. Depois, ele mesmo passava recolhendo. Também conversou com sua tia, Nathalie Silveira, que é assistente social da Apae de Brusque e descobriu onde poderia fazer a doação. Hoje, dois anos e 10 meses depois, ele exibiu com orgulho o resultado de tanto empenho: 100 garrafas pets entregues com sucesso.

    “Estou feliz porque faz muito tempo que comecei a juntar os lacres e hoje vou conhecer o Cauã”, conta Pedro. Em Florianópolis, no entanto, seu trabalho continua. O menino já acumula sete novas garrafas no sótão de casa.

     

    O beneficiado

    Cauã tem paralisia cerebral. A mãe, Roseli Carpes, 29 anos, conta que ele foi internado aos sete meses com pneumonia e, durante a noite, teve uma convulsão. Depois disso o corpo do menino atrofiou e até hoje não há um diagnóstico capaz de explicar o que aconteceu. Desde pequeno Cauã frequenta a Apae, faz sessões de fisioterapia e fonoaudiologia. “Em casa a gente tinha uma cadeira de rodas normal, que também ganhamos, mas não se adaptava bem às necessidades dele. Esta, com certeza, vai melhorar muito sua qualidade de vida”, afirma Roseli.

    Da forma que foi possível, Cauã sorriu quando sentou pela primeira vez na sua cadeira de rodas especial e quando ele e o amigo Pedro foram saudados com uma calorosa e merecida salva de palmas. Duas crianças em contextos tão diferentes agora estão conectadas pelo bom exemplo do amor e da compaixão.

     

    Os realizadores

    Para o diretor da Apae Brusque, que também é presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Brusque – CDL Brusque, Michel Belli, o sentimento de entregar uma cadeira de rodas adaptada é especial. “Na CDL muitas vezes tive a oportunidade de premiar pessoas com um carro OK, mas não é tão emocionante quanto entregar uma cadeira de rodas para quem precisa. A gente vê o sorriso do Cauã e a felicidade é muito grande. Além disso, temos a história do Pedro, que aos sete anos sentiu essa vontade de ajudar e começou a guardar os lacres. Quando a gente olha para uma garrafa pet parece simples e rápido, mas não é. Só quem arrecada para saber a dificuldade e o tempo que leva. Então, quando a gente vê uma criança com vontade de ajudar uma outra criança, isso é maravilhoso”, afirma Belli.

    Desde 2014 a campanha “Eu ajudo na Lata” é realizada em Brusque. “A proposta veio através da Unimed no Brasil, que lançou uma campanha nacional. Na cidade nós firmamos parceria com a ACIBr e, imediatamente, outras instituições também nos apoiaram. A gente colabora com meio-ambiente, quando se tira de circulação os lacres das latinhas que iriam para o lixo. Eles são reciclados e revertidos em um bem muito maior, que é uma cadeira de rodas adaptada”, enfatiza o gerente da Unimed Brusque, Guilherme Gamba.

    Para o diretor Executivo da ACIBr, Cândido Horário Godoy, mudanças acontecem quando esforços são conduzidos ao mesmo objetivo. “Buscamos unir forças para envolver toda a comunidade numa ação voluntária em prol de uma causa que é a acessibilidade das pessoas com deficiência”, ressalta.

    Em três anos de projeto foram arrecadados 4.149 quilos de lacres para a compra de seis cadeiras de rodas adaptadas. Só para a cadeira do Cauã foram necessários 1.166 quilos.

    As cadeiras de rodas adaptadas, adquiridas através da campanha “Eu ajudo na Lata” já beneficiaram as seguintes pessoas com deficiência: Edson Francisco Furquim (24 anos), Marise Poli (24 anos), Nayane Monteiro dos Santos (4 anos), Daiane Cardoso Ribeiro (17 anos), Daniela Lessa Antunes (28 anos) e Cauã Cesário dos Passos (11 anos).

    Todos eles são alunos das Apaes de Brusque, Guabiruba ou da Escola Charlotte. A escolha do beneficiado leva em consideração a necessidade do aluno e da família e a compra da cadeira envolve diversos profissionais para que a doação seja útil e adequada para cada tipo de deficiência.

    São apoiadores da campanha as Apaes de Brusque e Guabiruba, Rotary, Lions Clube de Brusque Berço da Fiação, Rede Feminina de Combate ao Câncer, CDL Brusque e Unifebe. 


    Leia +
    Interdição Ponte Artur Schlösser
    20/06/2017

    A Associação Empresarial de Brusque encaminhou ofício ao prefeito de Brusque, Jonas Oscar Paegle, solicitando informações sobre os problemas verificados na estrutura da Ponte Artur Schlösser, em virtude das recentes enchentes em nossa cidade. No documento, que foi assinado também pela CDL, SINDILOJAS, SIMMEBr, SIFITEC, SINDIVEST, SINDUSCON, ABM e  CESCB, as entidades questionam sobre as medidas que serão tomadas pela Administração Municipal para solucionar o problema; se existe projeto e um cronograma para a recuperação dos pilares danificados, além é claro, do prazo para execução e finalização das obras.


    Leia +
    Duplicação Rodovia Antonio Heil
    20/06/2017

    A duplicação da Rodovia Antônio Heil (SC-486) foi um dos assuntos levantados na reunião de diretoria da ACIBr. Os empresários demonstraram preocupação com o futuro, quando a obra estiver concluída. Segundo analisaram, a cidade não está se preparando para o crescimento e desenvolvimento que a duplicação trará para toda região.  


    Leia +

    Artigos

    Junho
    Processos de Cobrança: um plano de ação para evitar atrasos e inadimplência
    23/06/2017

    Por: Fabio Jorge Celeguim, CFO Grupo Flytour

     

    Quais os erros, acertos e processos mais comuns para evitar que os clientes atrasem o pagamento?

    Não tem saída. A cobrança é o momento mais desagradável da jornada de relacionamento com o cliente. O seu desafio nessa etapa é ser agradável, gentil e, ao mesmo tempo, garantir que o pagamento seja feito. Até então você ofereceu valor ao cliente e agora é o momento dele retribuir. Por isso, aqui na Flytour, esse processo é separado em estágios. E começa bem antes da fatura vencer.

    Cobrança pré-vencimento

    O mercado costuma chamar esse momento de cobrança preventiva ou consultiva, anterior ao vencimento da fatura. É nessa etapa que você pode questionar o cliente sobre eventuais problemas, antes mesmo de vencer. Em uma ligação, o seu time pode fazer a seguinte abordagem:

    “Olá, você tem a uma fatura que vai vencer daqui a três dias. Você recebeu? Está tudo certo? Precisa de mais informações?”

    O objetivo principal dessa ligação é avisar o cliente de que a fatura vai vencer e descobrir se ele tem a intenção ou não de pagá-la. Nela, você já colhe informações para saber se o valor ainda não foi aprovado internamente, se não chegou à área financeira ou se tem um gargalo no processo que você precisa intervir para que o pagamento aconteça no prazo esperado.

    Na prática, não é possível realizar essa ligação para todo cliente atendido. Nas 12 empresas que atendemos dentro do grupo Flytour, por exemplo, não são todos os 6 mil clientes que recebem uma ligação. Faturas pequenas, de menor valor, não passam por essa etapa. Já faturas mais altas, ou de clientes com histórico de atraso no pagamento, passam obrigatoriamente por esse estágio.

    Ranking de Pagadores: a lista que define suas prioridades

    Para entender quais clientes precisam passar pela etapa de pré-cobrança, é importante separar a carteira fazendo um ranking de pagadores, do cliente que sempre paga no prazo àquele que recorrentemente apresenta problemas de atraso.

    Na prática, não existe uma taxa aceitável de atraso que funcione para todas as empresas. O mais importante é entender o real motivo dos atrasos. Em alguns casos, é problema operacional. Em outros, chegamos à conclusão de que o jeito como faturamos não é o melhor para o cliente e adaptamos o processo.

    Até que ponto posso ser flexível no prazo de pagamento?

    Na Flytour, atuamos como consolidadores. Consolidação é ser um distribuidor de bilhete aéreo. O que fazemos é vender direto do inventário para as agências de viagem. Assim, mesmo que exista inadimplência de nossos clientes, temos que pagar o bilhete para a companhia aérea de qualquer maneira.

    Para você entender o grau de flexibilidade que pode oferecer para os seus clientes pagarem, faça o cálculo do prazo máximo que pode dar sem afetar seu caixa.

    Esse cálculo é feito pela relação entre:

    Disponibilidade de capital vs. Custo do capital

    Pode acontecer de você ter o dinheiro para realizar o pagamento dos seus fornecedores. Se tiver caixa e disponibilidade para fazer esse pagamento, pode dar um prazo a mais para o seu cliente pagar você e cobrar pelo custo deste capital, por meio dos juros.

    Nessa situação, podemos precificar o prazo de pagamento e as condições de pagamento, cobrando pela flexibilidade oferecida.

    Régua de cobrança: e se o pagamento não foi feito?

    Esse processo é fundamental para profissionalizar o processo de cobrança na sua empresa. Se você desenhar o que acontece nos dias seguintes ao vencimento e que medidas está disposto a tomar, se o cliente não realizar o pagamento, esclarece os estágios para o time e não precisa agir pontualmente em cada caso que aparecer.

    A sua régua pode ser desenhada da seguinte forma:

    D = dia do vencimento
    D+1 = ação imediata após o vencimento
    D+2 até D+90 = ações planejadas no período de 2 dias, 7 dias, um mês, dois e três meses após o vencimento.

    Com a régua definida, que pode envolver e-mails, ligações, e até, em último caso, o departamento jurídico, é importante conhecer a estrutura interna do cliente para saber onde você deve fazer a cobrança. Em alguns casos, é o financeiro quem toma a decisão. Em outros, é o time operacional.

    Em que momento envolver o time comercial na cobrança?

    Se você deseja envolver o time de Customer Success ou Comercial para facilitar o pagamento, inclua esse estágio apenas no limite da sua régua de cobrança, porque esse contato pode estressar o relacionamento. Em essência, o time comercial deve ter um relacionamento que constrói valor com o cliente. Por isso, em casos extremos, o representante do time comercial visita o cliente, marca um café ou cria novos assuntos e vai até a empresa dele. Lá, ele apresenta as novidades, uma nova forma de pagamento ou algo interessante que não torne a visita constrangedora. A postura dele sempre é de se colocar ao lado do cliente.

    Em meio à conversa, vem o questionamento:

    “Ah, o pessoal do financeiro comentou que tem um título seu em atraso. O que aconteceu? Fizemos algo de errado? Você precisa que a gente corrija a fatura?”

    Não significa que envolver o comercial é sinal de que tudo funcione. O que funciona de fato é levar a sério cada estágio da sua régua e revisitá-la com frequência para adaptar para o que mais tem funcionado no dia a dia.

    A RELAÇÃO DO COMERCIAL COM O CLIENTE SEMPRE É POSITIVA E CONSTRUTIVA, MESMO NOS CASOS DE COBRANÇA.

    E a inadimplência zero, é possível?

    Na Flytour, temos um índice de inadimplência bem baixo. Isso porque realizamos uma boa análise de crédito antes de vender. Além disso, temos uma preocupação em trabalhar dentro do modelo que o cliente adota, para sempre facilitar o processo para ele, mesmo que dificulte para nós.

    NOSSO PROCESSO DE COBRANÇA COMEÇA NA AVALIAÇÃO DE CRÉDITO

    Por termos um volume de clientes alto, o time de cobrança na Flytour é formado por 18 pessoas, sendo que 10 trabalham na área de crédito e 25 na área de cobrança para atender as 12 empresas do grupo.

    Futuro da cobrança é automatizado

    Hoje, três pessoas do time passam o dia verificando quais são as faturas em aberto dos nossos clientes. Para automatizar esse processo, estamos experimentando usar a Cortana, uma assistente virtual inteligente. Ainda estamos em fase de testes, mas o objetivo é que, quando o cliente ligar para o time financeiro, a Cortana possa responder de forma automatizada qual é o limite de crédito que ele tem disponível, se tem faturas em atraso, qual a data, número e valor.

    Uma outra iniciativa que estamos desenvolvendo é integrar a ferramenta de Business Intelligence com o processo de cobrança. O projeto inclui a criação de um portal para o cliente acessar, e verificar algumas informações:

    • Quantos títulos ele tem em atraso?
    • Qual o número de dias em atraso desses títulos?
    • Em que estágio ele está na régua de cobrança?
    • Quando vamos cortar o crédito desse cliente?

    Quais os erros mais comuns do processo de cobrança que não dá certo?

    1) Tentar fazer o processo de cobrança no tempo livre de alguém

    O principal deslize é deixar o processo de cobrança em um segundo ou terceiro plano dentro das prioridades do time financeiro. Existe uma tendência muito grande de áreas que não têm uma pessoa dedicada ao processo, mas sim alguém que liga para os clientes na hora vaga.

    2) Não ter clareza da régua de cobrança

    Se a sua régua de cobrança não tem começo, meio e fim claros para o cliente, ele não sabe quais são as consequências do atraso da fatura.

    3) Pessoas diferentes fazendo a cobrança para o mesmo cliente

    Em muitos casos, o processo de cobrança cria vínculo e relacionamento. Se a mesma pessoa tiver em contato por e-mail e telefone, por exemplo, tem mais domínio da situação do cliente e sabe qual é a probabilidade de ele pagar ou não.

    Quais são os indicadores de um processo de cobrança bem feito?

    Na Flytour, trabalhamos com uma métrica que relaciona o número de atrasos com os faturamentos gerados no mês. Assim, entendemos qual é o nível de tolerância nos atrasos do pagamento e desdobramos em ações que visam diminuir esse número ao longo do tempo.

    Na prática, o que você pode começar a fazer já?

    - Construir a régua de cobrança do seu negócio e implementar o processo com o time envolvido diretamente;

    - Começar o processo de lembrete da cobrança pré-vencimento para os clientes com histórico de inadimplência;

    - Se possível, dedicar uma pessoa do time financeiro responsável somente pelos processos de cobrança para centralizar as informações, o ponto de contato e a gestão dos indicadores.

    Leia mais em Endeavor @ https://endeavor.org.br/processo-de-cobranca-um-plano-de-acao-para-evitar-atrasos-e-inadimplencias/

     

    Fabio Jorge Celeguim, Atual CFO do Grupo Flytour, Fabio Jorge Celeguim foi eleito em 2006 um dos “CEOs do Futuro” na premiação anual conferida pela Korn Ferry, Você S.A. e FlA. Foi Diretor de Finanças e Planejamento da Subway, Diretor Administrativo e Financeiro do Grupo TOTVS, Diretor de Mercado Internacional da Microsiga, respondendo pela gerência geral das unidades no México e na Argentina e Diretor de Novos Negócios na Microsiga. É Membro do Comitê de Relação Públicas do IBEF (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças) onde responde pela Editoria de Entrevistas da Revista IBEF News e foi Diretor Administrativo da Fundação Nacional da Qualidade durante a gestão de 2005 a 2007. Graduou-se em Marketing, pós-graduado em Administração de Empresas pela FAAP, MBA em Finanças pelo IBMEC (em desenvolvimento) e cursos de extensão e especialização em Contabilidade e Finanças pela FGV e em Desenvolvimento Gerencial pelo IBMEC.

    FONTE: ACIM


    Leia +
    Quer criar um bom ambiente de trabalho?
    07/06/2017

    Então, comece respeitando as indivualidades.

     

    Por Mario Mello 

    Qualidade de vida no ambiente de trabalho é um conceito em pauta desde os anos 70/80. Mas só muito recentemente é que se chegou a uma conclusão com a qual eu, particularmente, concordo: que o chamado "balance" pertence ao indivíduo. A qualidade de vida é, portanto, algo muito pessoal.

    Afinal, é preciso compreender que existem pessoas que não veem o menor problema em trabalhar mais horas por dia, por exemplo. A qualidade de vida desse profissional não tem a ver com a quantidade de tempo que ele dedica à empresa. Não há, portanto, como homogeneizar o conceito de qualidade de vida, porque ela depende do histórico de cada um, do momento de vida profissional e pessoal. E está mais do que provado que forçar as pessoas a aceitarem um "balance" pré-definido pela empresa leva à insatisfação.

    Pessoalmente, prefiro o conceito de "wellness", bem-estar (que, inclusive, implementamos no PayPal). Ou seja, cada colaborador/funcionário é responsável por seu "balance". E os amigos/colegas são responsáveis pelo "balance" coletivo - para que ninguém se sinta intimidado em seu espaço, mas também para que o ambiente não seja afetado por uma individualidade mais exacerbada. O fato de um colaborador precisar sair mais cedo para buscar os filhos no colégio precisa ser visto por seus companheiros como algo natural - pois faz parte do "balance" desse profissional em especial.

    Acredito também no que chamo de postura transversal. Ou seja, esse mesmo profissional que sai mais cedo do escritório para buscar o filho na escola também pode ter uma ideia fantástica para a empresa durante o churrasco do fim de semana, por exemplo. Digo isso porque creio que não há como separar o lado pessoal do lado profissional. Eles estão em constante diálogo, e as empresas que perceberem isso têm muito mais chances de criar um ambiente saudável para todos os seus colaboradores. Porque, muito mais importante do que estabelecer padrões, é entender que as pessoas precisam ser tratadas como adultas, com seus direitos, claro, mas também com suas responsabilidades e seus objetivos.

    Em mais de duas décadas exercitando minha capacidade de gerenciar equipes (e aprendendo a cada ano fiscal), me convenci de que algumas atitudes fazem toda a diferença para alcançar o melhor ambiente de trabalho possível.

    Mantenha-se sempre próximo de seus colaboradores
    A palavra de ordem para um ambiente saudável é ouvir, ouvir e ouvir. Se for possível, abra espaço, semanalmente, para receber seus colaboradores e deixe-os falarem sobre o trabalho, o dia a dia, as necessidades pessoais e da equipe.

    Escritório com muitas facetas
    Além de diminuir as paredes entre seus colaboradores, ofereça serviços que os tirem da frente do computador por alguns minutos - como manicure, massagem relaxante e videogame, por exemplo. E invista em um ambiente agradável também aos olhos, com espaço para conversas na copa, por exemplo.

    Faça com que pensem fora da caixa
    Reforçar o espírito de equipe é sempre uma boa ideia - até para que os profissionais aprendam a respeitar os "balances" uns dos outros. Uma maneira interessante de conseguir isso é criar pequenos eventos sociais, como almoços, happy hours, jantares. Ah, sim: a participação dos gestores é igualmente importante.

    Construa um ambiente confortável e com equipamentos de qualidade
    Nada de bom acontece em um escritório insalubre. Por isso, faz parte das responsabilidades do empregador/chefe/gestor investir em um ambiente funcional e confortável. Aqui estou falando de um sistema de refrigeração/aquecimento bem ajustado, mesas e cadeiras ergonômicas, computadores novos, iluminação de qualidade e limpeza impecável. Ah, e tenha certeza de que cada funcionário possa decorar sua estação de trabalho conforme lhe convier.

    Recompense quem deve ser recompensado
    Ambientes calcados na meritocracia funcionam melhor do que quaisquer outros. Por isso, crie um sistema de recompensas bem definido e 100% conhecido por todos. Estimule uma saudável competitividade, com premiações individuais ou coletivas, sejam elas financeiras ou de "day off", por exemplo. O reconhecimento é muito importante.

    Mario Mello é diretor-geral do PayPal para a América Latina.

    FONTE: www.noticenter.com.br


    Leia +
    Fevereiro
    A era do cliente - 3 coisas que o tornam poderosíssimo
    08/02/2017

    Por Ernesto Berg 

    Estamos na época da teletromática. Teletromática é uma junção de três palavras: telecomunicação, eletrônica e informática. A teletromática agiliza tudo, compartilha tudo, globaliza tudo e informa rapidamente através de infinitos vasos intercomunicantes, em tempo real, numa escala sem precedentes na história da humanidade provocando mudanças e rupturas na ordem existente.Hoje em dia não é a empresa grande que engole a pequena, é a ágil que engole a lerda. Com auxílio da internet e das mídias sociais como Facebook, Twitter, Blogs, as informações e os relacionamentos humanos receberam enorme impulso e não param de crescer. Como se isso não bastasse, tudo - ou quase tudo de que precisamos -, encontramos com alguns cliques no Google, eBay, Mercado Livre, Yahoo e outros mecanismos de busca onde podemos comparar serviços, produtos, preços, condições e decidir pela melhor oferta. É a era do cliente; e ele tem a seu favor 3 coisas que o tornam poderosíssimo, motivo de real preocupação para as empresas que não se amoldam a essa realidade. 1. Foco do cliente.Um dos pontos fundamentais da era do cliente é que, agora, ter foco no cliente não é mais suficiente. Essencial, hoje, é ter foco do cliente. Ter foco no cliente significa que você olha para o cliente imaginando o que seria bom para ele, do que ele gostaria, quais seriam suas preferências e necessidades, seus problemas e interesses. É uma visão de fora pra dentro. Pelo contrário, foco do cliente significa que você colocou os sapatos dele e descobre onde aperta o calo, isto é, você se põe no seu lugar e passa a sentir suas necessidades, interesses e motivações. Você está sintonizado com a realidade dele. Sua visão é de dentro pra fora. É assim que as empresas bem-sucedidas estão conseguindo fidelizar seus clientes e consumidores. 2. Binômio consumidor-mercado.Outra  questão  importante  é o binômio  consumidor-mercado que  adquiriunova fisionomia. Já não é mais o jargão tradicional “O custo faz o preço”. Agora é: “O preço faz o custo”. Na economia tradicional o preço, isto é, a margem de lucro é estabelecida com base no custo do produto ou serviço. Na nova economia, em função da concorrência acirrada, o preço está condicionado ao valor que o mercado consumidor está disposto a pagar pelo seu produto ou serviço. É o que ocorre, por exemplo, com as empresas de telecomunicações, de cartões de crédito ou de informática, que, além de reduzirem constantemente seus preços, ainda oferecem vantagens e brindes para manterem os clientes ou conquistarem novos. A menos que sua empresa tenha um diferencial competitivo extraordinário, se quiser sobreviver, ela terá que adequar e reduzir seus custos ao valor aceito e praticado pelo mercado, caso contrário, é candidata séria a quebrar. 3. Atendimento de qualidade.O terceiro ponto, e também o mais crítico, é o atendimento deficiente praticado pela maioria das empresas. A triste realidade é que, em vez de melhorar, temos a impressão que o atendimento piora a cada dia que passa, não importa a área ou segmento em que a empresa atua. Tratam o cliente como se ele fosse um incômodo ou um mal necessário – apenas tolerando-o -, e parecem ignorar que o cliente é a própria razão da existência da empresa. Esta só existe porque tem clientes. Sem clientes não há lucro, não tem emprego, não tem serviço ou produto, nem empresa.                                                                                                                                                                                    Lembre-se: é o cliente que paga a prestação ou aluguel de sua casa, é ele que paga o alimento que você consome, a roupa que você veste, o colégio de seus filhos, o carro que você dirige, os medicamentos que você compra, os impostos e tributos da organização etc. Não é a empresa que paga você; é o cliente que paga e sustenta a companhia. O que toda empresa faz é simplesmente repassar aos funcionários, aos proprietários, aos acionistas – ou quem mais for -, parte do dinheiro que ela recebeu por comercializar determinados produtos ou serviços. O cliente sempre é, e será, o fator-chave do crescimento ou falência do seu negócio. “Quem garante todos os empregos não são os empresários, os sindicatos ou os governantes. São os consumidores.” John Hicks, prêmio Nobel de Economia, 1992 Texto extraído e condensado do livro “Manual de Atendimento ao Cliente”, de Ernesto Artur Berg. Para adquira o livro acesse o site www.quebrandobarreiras.com.br seção de LIVROS.


    Leia +
    Julho
    O Maior dos Agentes de Mudanças
    19/07/2016

    Por: Ernesto Berg
     
    Mudança é a palavra-chave que caracteriza nossa existência como seres humanos e, sobretudo agora, no século XXI. Quem muda e se adapta, sobrevive; quem não o faz estagna e perece. As crises ocorrem quando pessoas, estruturas e sociedades resistem às inovações ou quando surge uma nova situação com a qual conseguem conviver.
     
    O termo crise vem do grego “krisis”, que significa momento decisivo e crítico. Pode tornar-se problemático se encarado negativamente; ou um novo desafio a ser enfrentado e vencido, quando visto positivamente. O ideograma chinês que representa crise é formado de duas partes: uma, significa risco (Wei), a outra, oportunidade (Ji).
     
    A crise traz a oportunidade de construir e vivenciar algo novo, mas também modifica o status quo do antigo, refém da acomodação. Modificar o status quo significa sofrer toda espécie de resistências e mesmo atitudes agressivas.
     
    Líderes autênticos provocam reais mudanças
    Cristo foi o maior agente de mudanças que a humanidade conheceu. Tão grande influência exerceu que o calendário foi modificado em antes e depois de Cristo (AC – DC), representando um divisor de águas, e um símbolo que poderia significar antes e depois da sua mensagem.
     
    Ele quebrou a espinha dorsal da tradição doutrinária das religiões existentes, afetando sobretudo o Judaísmo. O Antigo Testamento faz dezenas de referências ao Messias, Jesus, séculos antes de seu nascimento. Messias vem do aramaico mashiach, que significa ungido pelo santo óleo, expressando o poder com que eram investidos os sacerdotes e reis de Israel, ao serem empossados. Messias em grego é Christos, cuja tradução em português é Cristo.
     
    Grandes líderes – sejam políticos, empreendedores, inventores, artistas – são agentes de mudanças. Eles utilizam a base da sociedade existente e sobre ela calcam novos modelos mentais e estruturais, novos padrões de conduta e tecnologias. Existem centenas de exemplos de pessoas em todas as áreas do conhecimento e da tecnologia que, mais tarde, transformaram suas ideias e ideais em amplos sucessos resultando em grandes mudanças.
     
    Elas tiveram duas coisas em comum: 1) Passaram por um período de aprendizado e incubação mental, ou espiritual, antes de emergirem para o mundo; 2) Tinham grande e profunda convicção no sucesso de suas missões ou empreendimentos.
     
    O grande empreendedor
    Foi assim com Jesus. Começou a pregação da boa nova (evangelho) a partir dos 30 anos, e nos próximos 3 anos e meio de sua existência, sedimentou a base da doutrina espiritual que veio trazer. Instituiu as bases do empreendimento em cerca de 42 meses, mas o resultado e a repercussão ecoaram universalmente, transformando pessoas, sociedades, países e continentes.
     
    O que faz de Cristo o maior empreendedor de todos? Resposta: enquanto outros líderes mostraram-se proeminentes no campo da esfera humana, Jesus trouxe um sopro de luz e vida sobre a área mais obscura e inexplorada do ser humano: seu espírito e alma, o verdadeiro eu. E não ficou nisso. Mostrou a porta de saída de nossas limitações e o caminho para a vida eterna, o que vale mais do que toda a soma do conhecimento humano, pois tornou o que era limitado em ilimitado, o finito em infinito, o passageiro em eterno, o inatingível em atingível.
     
    “Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”, afirma. João 10.10b. Não a existência comum, mas a vida completa, com abundância, em todas as áreas de nossa vida: abundância de paz, sabedoria, alegria, amor, saúde. É a própria plenitude bíblica, já prometida a Abraão no Antigo Testamento, agora repactuado com vigor muito maior. À medida que você se entrega a Deus, Deus se entrega a você.
     
    Quebra de todos os padrões
    Líderes proeminentes quebram padrões e barreiras vigentes para dar forma aos ideais e ideias que vieram disseminar. Pelo princípio da não-resistência Gandhi quebrou a espinha dorsal do império britânico na Índia e libertou seu povo da dominação inglesa.
    Einstein formulou o princípio da energia X matéria. E= M X C2, onde energia (E), é igual a matéria (M), vezes a velocidade da luz ao quadrado (C2), inaugurando as bases da era atômica.
    Nós, que vivemos no século XXI, e estamos familiarizados com os novos conceitos que Cristo trouxe, não nos damos conta dos rígidos paradigmas que ele quebrou há dois mil anos. Foram dezenas de modelos que ele quebrou e repercutem até os dias de hoje. Cito apenas quatro, para exemplificar.
     
    Quebra de paradigma 1: Pai Nosso
    Antigamente as pessoas não ousavam chamar ao criador do universo de pai. As expressões eram: Deus, Ser Eterno, Todo-Poderoso, Senhor do Universo etc. Mas, designá-lo de pai, é algo bem diferente. Foi considerado anátema pela classe sacerdotal e digno de reprovação.  Não obstante, Cristo chamou o Criador de Pai, e com essa atitude puxou Deus para a esfera humana e, por sua vez, alavancou-nos até Ele, inaugurando um novo tipo de relacionamento: a do Pai achegando-se aos filhos carinhosamente.
     
    Quebra de paradigma 2: Deus se interessa pelo bem estar de cada pessoa
    Cristo trouxe valiosa informação para nós. Deus é um pai amoroso, terno e paciente. Ele não se atém, tão somente, às ações estratégicas e cósmicas. Ele participa do nosso dia a dia, de nossas rotinas e preocupações.
     
    “Não pergunteis, pois, o que haveis de comer ou o que haveis de beber e não andeis inquietos. Porque os gentios do mundo (as pessoas centradas apenas nas coisas materiais) buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que necessitais delas.” Lucas 12. 29 e 30.
                   
    A preocupação de Deus pelas coisas transitórias em nossas vidas indica seu maior cuidado por nós e toda a criação. Uma confiança simples e sincera em um Pai cuidadoso, liberta as pessoas da ansiedade aborrecedora das necessidades físicas da vida.
     
    Quebra de paradigma 3: O relacionamento com Deus é pessoal e intransferível
    É um dos pontos que mais causou polêmica entre os sacerdotes, escribas e fariseus. A tradição religiosa e cultural vigentes era a de que o contato com Deus poderia somente ser feito por profetas, sacerdotes ou reis, por serem figuras investidas de autoridade divina para isso.
    Jesus quebra o monopólio elitista das classes privilegiadas e torna o contato com o Pai disponível a todos, sem exceção. Ao sacrificar-se por nós na cruz Cristo tornou-nos reis e sacerdotes, pois ensejou ligação direta com Deus (Apocalipse 1.6).
     
    Quebra de paradigma 4: Valorizou sobremodo as pessoas
    Com Jesus o povo passou a ter vez e ser reconhecido como gente. As pessoas acercavam-se de Jesus e eram ouvidas, instruídas e renovadas com suas palavras. Cristo valorizou as mulheres que, na antiguidade, eram tradicionalmente subjugadas e subservientes aos homens, relegadas a uma posição de menor importância na sociedade, cujo objetivo principal era procriar. Há inúmeras passagens na Bíblia onde Cristo conversa carinhosamente com as mulheres, salvando inclusive uma adúltera de apedrejamento, contrariando a lei mosaica, que exigia essa punição às adúlteras. Jesus poderia ter se eximido e não intervir para agradar aos sacerdotes. Mas o líder, nas horas cruciais aparece e atua, não se esconde.
     
    Perguntas-chave da mudança
    Em se tratando de mudanças pessoais, existem algumas perguntas que todos nós  podemos - e devemos - fazer a nós mesmos: “Como estou em termos da minha zona de conforto? Como estou encarando a restauração da minha vida espiritual? Estou evitando-a e procurando o máximo de tranquilidade e conforto na vida que levo?” Convém lembrar que o lugar mais tranquilo da cidade é o cemitério. Lá tudo é tranquilo e nada muda; ninguém ali aspira a mais nada. Se quisermos crescer teremos de enfrentar a mensagem trazida por Cristo: “Eu vim para tenham vida e a tenham em abundância.” É um convite e também um desafio que Jesus lança a todos: receba vida e a receba com abundância, mas faça a sua parte. Saia da zona de conforto e assuma uma nova postura, com coragem e confiança, pois é na lida diária que crescemos e nos tornamos vencedores.
     
    Texto extraído e condensado do livro não publicado “O Maior Empreendedor do Mundo”, de Ernesto Artur Berg, que é consultor de empresas, professor, palestrante, articulista, autor de 15 livros, especialista em desenvolvimento organizacional, negociação, gestão do tempo, criatividade na tomada de decisão, administração de conflitos.


    Leia +
    Dezembro
    Como prosperar em um 2016 de turbulências
    10/12/2015

    Por Ricardo Pereira

    Muito se tem falado em crise, estagnação, desemprego, quedas nas vendas entre vários outros sinônimos que por fim se remetem a “recessão” de mercado. Essa não é a primeira e nem última “recessão”, elas sempre estarão presentes, umas com mais intensidade outras com menos.

    Vale lembrar que o mercado em geral não está em recessão, nós não estamos crescendo! E também não estamos diminuindo! Ou seja, estamos no popular zero a zero. Mas então o que está ocorrendo que as vendas estão menores?

    Um dos motivos claros é o aumento dos concorrentes, se você não está vendendo, seu concorrente está. Juntando com um cenário político desfavorável, se tem a receita completa para alimentar uma recessão no mercado. Aliando ainda a concorrência global, hoje e se compra produtos da China em apenas 5 minutos, então, como estar preparado para tudo isso?

    Respondendo as questões a seguir!

    Você sabe realmente quanto custa o produto ou serviço que você presta? Você sabe o quanto tem que vender para chegar ao ponto de equilíbrio? Ou seja, a partir desse valor, todos os custos fixos e variáveis estão pagos. Você tem indicadores e monitora essas entradas e saídas semanalmente?

    Conhecer os dados acima é de suma importância para momentos igual ao que estamos vivendo, se percebe empresas dando desconto, fazendo vendas casadas com menores preços e por final acabam vendendo com prejuízo e. DICA: Se o preço é um grande influenciador nas vendas, você pode baixar o preço, porém o valor do mesmo não pode ficar abaixo do ponto de equilíbrio, pois no curto prazo se fará dinheiro, entretanto no médio e longo prazo o fluxo de caixa ficará zerado ao negativo.

    Conhecendo os custos se saberá quais as principais contas, e essas merecem atenção especial e maior controle.

    Outro ponto, você sabe realmente como seu produto ou serviço é e está sendo executado? Quanto tempo se havia definido para ser feito, e em quanto tempo realmente está demorando? Ou seja teoria e prática. Quanto de retrabalho ou problemas de qualidade tem ocorrido? Ou seja, como está a eficiência e eficácia.

    Se percebe enumeras empresas reclamando que as vendas estão baixas, e quando recebem um pedido não conseguem entregar no prazo. Empresas acabam produzindo prejuízo pois definem que determinado produto ou serviço será feito em 2 horas, mas por falta de treinamento, orientação, padrões, organização, acabam levando 4 horas. O custo evidentemente ficará acima do definido e consequentemente irá impactar no lucro. DICA: Elabore um monitoramento de controle de produção – eficiência e eficácia, definindo tempos para cada execução, assim se conseguira dimensionar a quantidade correta de funcionário e se o que foi definido no início do projeto está ocorrendo.

    Para finalizar, como está a prestação de serviço de sua empresa? O que está sendo feito de diferente para o cliente retornar a comprar? O cliente está satisfeito com seus produtos ou serviços? Os pedidos estão sendo entregues no prazo? Quanto de estoque de material se tem dentro da empresa?

    Qualquer produto nesse mundo pode e será copiado, entretanto a prestação de serviço nunca será igual, é dessa forma que agregamos valor ao nosso produto. Já perguntou ao seu cliente o que você pode fazer para melhorar performance perante ele? Entregar no prazo e monitorar estoques são primordiais para manter a empresa viva. Quanto antes entregar, antes irá gerar faturamento e entrada de dinheiro na empresa. Quanto menos estoque obtiver, menos dinheiro se terá investido, sendo assim haverá mais dinheiro no caixa para suprir eventuais problemas financeiros. DICA: Defina meta de quantidade de estoques. Elabore indicador de atendimento ao cliente e monitore. Vá aos principais clientes e pergunte a eles o que você pode fazer para melhorar ainda mais o seu atendimento, assim você vai fidelizar cada vez mais esses clientes.

    Finalizando aqui deixo duas perguntas chave para qualquer negócio: Qual o diferencial competitivo da empresa? O que a empresa tem de diferente dos seus concorrentes?

    Realizando essa autoanalise, a empresa conseguira “navegar” no mar de 2016 com mais controle e rumo, tendo bussolas para garantir o melhor caminho a se seguido.

    Obrigado!

    Ricardo Pereira CEO – L6S Consultoria e Treinamento

    ricardo@L6S.com.br

    47-91199444 / 99372792

    Visite nosso site: L6S.com.br


    Leia +
    Revista ACIBr
    Balanço Social
    Balanço Social
    Cadastro Empresarial Santa Catarina
    Cadastro Empresarial SC 2017
    Facisc
    Aplicação da Marca FACISC
    BO Online
    Boletim de Ocorrência Online